Beer Boss

 

A idéia de um “produto proibido”, como o whisky americano nos anos de lei seca e a fantasia dos “heróis” que salvaram sua produção nos alambiques clandestinos e no comércio paralelo alimentaram o imaginário dos criadores da Beer Boss e dos arquitetos no desenvolvimento do projeto do seu espaço no Mercado Público de Florianópolis.

Assim tudo se organizou em torno de um balcão de atendimento “atulhado” de bicas de chopp, marcas, embalagens e copos de cerveja.

Na busca pelos elementos da composição da ambientação, incorporamos ao projeto alguns elementos importantes da identidade visual da marca, como a rusticidade da madeira e o tom de amarelo.

O pequeno espaço do Box foi o maior desafio para a criação do espaço. O estoque de bebidas se transformou no próprio pano de fundo do projeto, seja no grande expositor refrigerado que cobre o fundo da loja, seja nas altas estantes que aproveitam o amplo pé direito no estreito espaço de público em frente ao balcão.

Sobre o balcão, uma estrutura de inox percorre todo o bar, servindo de apoio às taças, às garrafas especiais, à iluminação dirigida.

O Mercado Público foi o envelope perfeito, com a amplitude das portas coloniais, a rusticidade das paredes centenárias e o ambiente “marginal” do centrão histórico da cidade.

No exíguo corredor reservado para a cozinha no mezanino foi preciso muita criatividade e habilidade para encaixar todos os equipamentos necessários, numa sequencia que correspondesse às atividades da cozinha e respeitasse as regras da vigilância sanitária.

Por estar num imóvel tombado, o projeto teve de respeitar inúmeras regras que limitaram bastante as soluções – manter o piso cerâmico original, não revestir nem fixar nada nas paredes históricas, executar todas as tubulações aparentes – exigiu soluções alternativas, de composição do projeto e de detalhamento técnico que viabilizassem a execução e criassem a ambientação desejada.

Olhando em planta baixa, expor todos os rótulos disponíveis no pequeno espaço parecia algo impossível. Para isso foi preciso tirar proveito da 3ª dimensão, aproveitando a grande altura do pé direito na entrada da loja, cobrindo as paredes com estantes para as cervejas, que são também ao mesmo tempo expositor e estoque.

 Fotos Pedro Caetano