Cartório Salles

O projeto respondeu a um programa bastante extenso, especialmente no que se referia ao armazenamento de documentos e setorização do atendimento ao público.
Em ambos os pavimentos o layout procurou privilegiar a transparência para aproveitar a luz natural, vinda da única grande esquadria situada nos fundos da loja, numa área de pé-direito duplo.

Pé direito alto ocupado pelas estantes de documentos

Estabelecido em 1964, o Cartório acumula enorme quantidade de livros de registros, material que representa o patrimônio da repartição e deve estar sempre disponível para acesso e consulta.Maquete eletrônica do mezanino

O projeto acomodou esta setorização aproveitando a nova área adquirida pelo Cartório, que se distribui por dois pavimentos, com um balcão extenso para atendimento no térreo setorizado pelo seu próprio desenho, e mesas de reunião no pavimento superior, em ambientes com diferentes graus de privacidade para os atendimentos mais prolongados.

O desenho do balcão no térreo, buscando amarrar os pilares existentes, foi posicionado diagonalmente em relação ao ambiente.

Área externa

Brises de proteção solar

Esta esquadria, voltada para o Norte, recebeu brises horizontais da Hunter Douglas, em chapa metálica perfurada, para filtrar a radiação solar sem perder a importante luz natural e a visão para o exterior.
No terraço existente foi projetada uma área de ajardinamento e decks em madeira servindo como ambiente de descanso para os funcionários e compondo o pano de fundo para as áreas de trabalho do térreo.

Junto à área de pé-direito duplo foram localizadas as salas dos dois tabeliões (titular e substituto). Como caixas sobrepostas, estas salas ganharam destaque na arquitetura, valorizadas por sua cor, revelando a importância hierárquica dos seus ocupantes.
No piso, utilizamos Marmoleum, revestimento em manta que permite desenhos variados para reforçar circulações e elementos do layout. Este piso tem um bom desempenho acústico aliado à durabilidade e facilidade de manutenção, evitando o excesso de ruídos e desgaste provocados pelo grande fluxo de público.
O mobiliário foi todo concebido com revestimento em padrões variados de fórmica. A cor vinho entrou no revestimento de elementos destacados como a divisória que setoriza os balcões do térreo, as estantes de livros e a sala do tabelião no pé-direito duplo.
Esta combinação de cores buscou uma identidade forte, sem negar a sobriedade conveniente ao tipo de atividade desempenhada, mas marcando com expressividade o novo ambiente.

Colunas revestidas em vidro preto com televisores embutidos

Os pilares centrais foram revestidos em vidro preto, em estrutura que embutiu telas de LCD voltadas para as áreas de espera.