Casa na Serra

O local escolhido pela família para passar bons invernos e verões, foi um charmoso condomínio cheio de verde em Rancho Queimado, na serra Catarinense, a 80 km de Florianópolis. Já havíamos trabalhado no apartamento da cidade (ver interiores/estar com a família) e agora pudemos participar de mais esta conquista.

Foto feita em julho/13 durante neve que caiu em SC

Um lugar para a família estar em contato com a natureza, num ambiente que ao mesmo tempo garantisse privacidade e permitisse desfrutar da bela cena campestre: era preciso uma arquitetura contextualizada, que se encaixasse na paisagem e na cultura da região.

Projetar uma casa fora da cidade num terreno amplo, cercado de linda paisagem é um desafio que começa na definição do posicionamento da casa no terreno.


Neste caso, a escolha do limite entre a parte plana e o declive do lote possibilitou traçar um fácil acesso e permitir uma incrível vista para o vale arborizado.

Além disso, conseguimos conferir à arquitetura a ambigüidade sugerida pelos proprietários, que parecesse apenas uma “casinha de campo”, mas que estivesse à altura da monumental paisagem. Assim, quem chega à casa pela estrada lê a simplicidade, mas ao vê-la do vale, nos fundos, percebe o quanto ela se abre para o entorno.

Desenvolvendo-se basicamente num só pavimento, a distribuição privilegiou uma sala central com mezanino, que integra todas as atividades. Fugindo do layout convencional de apartamentos urbanos e favorecendo a privacidade do casal, temos em um lado da sala a ampla suíte e do outro, os quartos dos filhos.

O volume em tijolo é arrematado pelo telhado com abas de rancho, projetado para “flutuar” sobre o volume principal. No vão do telhado, o mezanino aproveita a altura do pé direito e através dos oitões envidraçados, é invadido pela paisagem.

A sala se estende por um deck elevado, graças ao desnível do terreno, de onde se descortinam os lagos no fundo do vale.
Encoberto pelo deck, fica o acesso ao pequeno porão que abriga os equipamentos de lazer e manutenção e o depósito de lenha.

Não se poderia intervir neste local sem uma atenção especial à preservação da natureza. O sistema de aquecimento de água aproveita o funcionamento do fogão à lenha, e paredes duplas em todo o contorno da casa fazem frente às temperaturas extremas, reduzindo o uso de aquecedores no inverno e garantindo frescor no verão.

Com o passar do tempo as árvores frutíferas plantadas pela família ao redor da casa, vem deixando o ambiente cada vez mais acolhedor.

A neve histórica que caiu em Santa Catarina nos deixou essa visão tão desejada.