Refúgio da cidade

Uma “villa”, videiras, quem sabe os alpes italianos numa vista bem distante… A proprietária às vezes sonha estar em outro continente, onde as artes sejam milenares, a cultura erudita, a vida mais simples…

 

Esta casa traduz um sonho, um devaneio. Sua composição e seus elementos construtivos procuram referências na memória da proprietária, na imagem que ela faz do seu refúgio ideal.

O terreno, junto a uma área de proteção ambiental próxima às margens da Lagoa da Conceição, cercada por morros e verde, dá sua enorme parcela de contribuição. Os tijolos escolhidos a dedo entre os “piores”. Assim surge um recanto, um refúgio do cotidiano, da cidade.