La Padá

PRÊMIO CATARINENSE DE ARQUITETURA
Categoria EDIFÍCIOS COMERCIAIS

O tom do trabalho foi dado pelos clientes já na primeira reunião quando nos pediram para pensar “fora da caixa” ilustrando a intenção de ter um projeto inovador, oferecer algo que a cidade não tinha e compartilhar conosco a própria idéia do negócio, abrindo espaço para discutirmos no projeto o conceito do novo empreendimento.

O projeto partiu de uma casa no Centro de Florianópolis e a transformou radicalmente, explorando o melhor aproveitamento do terreno. Na arquitetura buscamos soluções que aliassem princípios de sustentabilidade às exigências de um empreendimento comercial.


O jardim vertical ultrapassa os limites da construção.

O uso de estruturas metálicas e fechamentos em Drywall e o reaproveitamento das madeiras do piso e telhado da casa e a manutenção das grossas paredes externas trouxeram rapidez à obra e garantiram um uso inteligente e econômico de recursos naturais.

Nas fachadas usamos chapas cimentícias envernizadas e nas janelas molduras em aço cortem procurando uma imagem ligada à produção, algo que lembrasse uma fábrica.

A volumetria reflete os diversos usos lá dentro, com seus diferentes pés direitos, ambientações e transparências. A arquitetura se organiza em torno do percurso que leva da padaria às mesas do bistrô. Ao longo dele estão dispostos o empório, o café, o acesso secundário, a cozinha, o banheiro e os jardins verticais.

.

 É este percurso que conduz o cliente da rudez da Avenida Rio Branco até o acolhimento dos jardins verticais nos fundos da loja.